Frameworks MVC e o Spring

Frameworks MVC. Quando estamos desenvolvendo aplicações, em qualquer linguagem, queremos nos preocupar com infraestrutura o mínimo possível. Isso não é diferente quando trabalhamos com uma aplicação Web. Imagine termos que lidar diretamente com o protocolo HTTP a todo momento que tivermos que desenvolver uma funcionalidade qualquer. Nesse ponto, os containers e a API de Servlets encapsulam o protocolo para que não precisemos lidar diretamente com ele,mas mesmo assim existe muito trabalho repetitivo que precisamos fazer para que possamos desenvolver nossa lógica.

Um exemplo desse trabalho repetitivo que fazíamos era a conversão da data. Como o protocolo HTTP sempre interpreta tudo como texto, é preciso transformar essa data em um objeto do tipo Calendar. Mas sempre que precisamos de uma data temos essa mesma conversão usando a SimpleDateFormat.

Outro exemplo é, que para gravarmos um objeto do tipo Contato, precisamos pegar na API de Servlets parâmetro por parâmetro para montar um objeto do tipo Contato invocando os setters adequados.

Não seria muito mais fácil que nossa lógica recebesse de alguma forma um objeto do tipo Contato já devidamente populado com os dados que vieram na requisição? Nosso trabalho seria apenas, por exemplo invocar o ContatoDao passando o Contato para ser adicionado.

O grande problema é que estamos atrelados a API de Servlets que ainda exige muito trabalho braçal para desenvolvermos nossa lógica. E, justamente para resolver esse problema, começaram a surgir os frameworks MVC, com o objetivo de diminuir o impacto da API de Servlets em nosso trabalho e fazer com que passemos a nos preocupar exclusivamente com a lógica de negócios, que é o código que possui valor para a aplicação.

Um pouco de história do frameworks mvc

Logo se percebeu que o trabalho com Servlets e JSPs puros não era tão produtivo e organizado. A própria Sun começou a fomentar o uso do padrão MVC e de patterns como Front Controller. Era muito comum as empresas implementarem esses padrões e criarem soluções baseadas em mini-frameworks caseiros.

Mas logo se percebeu que o retrabalho era muito grande de projeto para projeto, de empresa para empresa. Usar MVC era bem interessante, mas reimplementar o padrão todo a cada projeto começou a ser inviável.

O Struts foi um dos primeiros frameworks MVC com a ideia de se criar um controlador reutilizável entre projetos. Ele foi lançado no ano 2000 com o objetivo de tornar mais simples a criação de aplicações Web com a linguagem Java ao disponibilizar uma série de funcionalidades já prontas.

Isso fez com que muitas pessoas o utilizassem para desenvolver suas aplicações, tornando-o rapidamente a principal solução MVC no mercado Java. Uma das consequências disso é que hoje em dia ele é um dos mais utilizados no mercado.

No entanto, hoje, ele é visto como um framework que demanda muito trabalho, justamente por ter sido criado há muito tempo, quando muitas das facilidades da linguagem Java ainda não existiam.

Por isso surgiram outros frameworks MVC. A comunidade do Struts, por exemplo, uniu forças com a de outro framework que começava a ganhar espaço no mercado, que era o WebWork. Ambas as comunidades se fundiram e desenvolveram o Struts 2, que vem a ser uma versão mais simples de se trabalhar do que o Struts 1, e com ainda mais recursos e funcionalidades.

Um dos frameworks mvc mais famosos na mercado é o Spring MVC. Spring é um framework que inicialmente não foi criado para o desenvolvimento web. Na essência o Spring é um container leve que visa fornecer serviços para sua aplicação como por exemplo o gerenciamento de objetos ou transação. Mas com o tempo a comunidade Spring entendeu que o Struts era ultrapassado e começou criar um framework MVC próprio. O Spring MVC é um framework moderno que usa os recursos atuais da linguagem além de usar todo poder do container Spring. Nesse capítulo veremos as funcionalidades desse framework poderoso.

Curso que recomendo para você

Selecionamos uma série de cursos on-line para você se preparar e abrir as portas para as vagas de programação.Conheça cada um dos cursos nos links oficiais abaixo.

Construa e plublique APIs com Spring Boot
RESTful Spring Boot
No curso você será capaz de criar APIs RESTful com elementos altamente escaláveis e publicar em cloud.
593 alunosHoras do curso 40h Horas do curso certificado
Promoção R$ 297
12x de R$ 28,94
O curso API RESTful com Spring Boot e Java 8 – Guia de Referência, é um curso que visa apresentar os principais componentes de uma API RESTful eficiente e escalável no formato de problemas e soluções.
Mais de 200 aulas curso completo em JSF 2.2
JSF 2.2 e PrimeFaces
Curso completo em JSF 2.2 com PrimeFaces, Spring, Hibernate, JPA, Ireport e CDI. Iremos do básico ao avançado em JSF.
2.985 alunosHoras do curso 100h Horas do curso certificado
Promoção R$ 189
12x de R$ 18,41
A melhor forma de aprender a desenvolver sistemas em Java é tendo como exemplo um projeto e curso completo onde possa observar o código para melhor entendimento do funcionamento das rotinas a acompanhar as vídeos aulas de desenvolvimento. Esse curso contém tudo que um desenvolvedor precisa saber para entrar no mercado de trabalho.


 


Acesse
Cursos e Projetos
Java
Acesse
Outros Cursos
PHP MySQL Android
Acesse
Encomende um Projeto
Feito pra Você
Acesse
Tire as Dúvidas On-line
Consultor
Acesse
Aulas de Java só suas
Encomende Agora
Acesse
Dividindo Conhecimento
Posts e Tutoriais
Acesse
Sites e Parceiros
Associados
Acesse
Conheça os curso gratuitos
Grátis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instrutor Java Quer se tornar aluno VIP? CLIQUE AQUI!
Instrutor Java

Alex Fernando Egidio
Autor, criador e fundador do Java Avançado Cursos TI. Atua no mercado como desenvolvedor e engenheiro de sistemas em Java é apaixonado por desenvolvimento web em Java e pela “mágica” que seus frameworks trazem para o dia a dia de nós desenvolvedores.
Com mais de 10 anos de experiência ajuda programadores do Brasil todo a se tornarem profissionais.